Tudo sobre "Twin Peaks", série que marcou os 90´s e retorna com nova temporada em 2017

O famoso retrato de Laura Palmer, interpretada pela atriz Sheryl Lee

Crise política, queda da União Soviética, explosão da música sertaneja, perda de grandes intérpretes da música nacional e internacional (Gonzaguinha e Freddie Mercury) e muitos outros fatos marcaram o ano de 1991 no Brasil e no mundo. Mas no entretenimento, nenhum fato foi tão impactante quanto a estreia da série Twin Peaks na TV brasileira. 

Fenômeno do ano anterior nos EUA, o episódio piloto de Twin Peaks foi exibido pela primeira vez em 8 de abril de 1990 no canal ABC. Sucesso de público, chegou a atrair mais de trinta e cinco milhões de telespectadores, tornando-se o maior fenômeno televisivo da época. Criada por Mark Frost e David Lynch, a série segue a investigação do agente do FBI Dale Cooper, sobre o assassinato da popular estudante de colegial Laura Palmer. E mal havíamos nos recuperado da revelação sobre o assassinato de Odete Roitman em "Vale Tudo"(1988 a 1989), pintava mais um incrível mistério para nos rondar: "Quem matou Laura Palmer?".


Twin Peaks passou a ser exibida no Brasil em 1991 pela Rede Globo, depois de um ano de sua primeira temporada nos EUA. Os domingos depois do "Fantástico" eram de grandes expectativas, pois era a hora mágica de ficar em frente à TV e acompanhar a investigação do agente do FBI Dale Cooper (Kyle MacLachlan), incumbido de achar o assassino da tão popular estudante Laura Palmer (Sheryl Lee). O crime havia acontecido na cidade freak e ficcional chamada Twin Peaks, em Washington. A imagem de uma adolescente caminhando entre trilhos, atônita e machucada, foi uma das primeiras imagens impactantes a nos atingir. A segunda foi a de Laura Palmer, morta e envolta de um plástico. Aos poucos, um emaranhado de personagens e fatos foram revelados, deixando o clima cada vez mais pesado e impossível, tornando difícil o entendimento da série que possuía momentos alternados entre suspense, surrealismo, drama, policial, humor e terror psicológico. Em uma época que não existência a internet e muito menos a palavra spoiler, era uma verdadeira tortura aguardar a semana seguinte para acompanharmos a série, que aos poucos virou patifaria nas mãos da Globo: muitos episódios saltados, dias e horários de exibição alterados, cenas cortadas e até que finalmente, a primeira temporada de Twin Peaks deixou de ser exibida pela emissora. Um gigantesco banho de água fria. E a pergunta da década que não queria calar ficou sem resposta: nunca soubemos quem matou Laura Palmer. Quando Twin Peaks foi lançada em VHS, tornou-se um cult.

O agente do FBI Dale Cooper, interpretado por Kyle MacLachlan

Com personagens estranhos e excêntricos e tramas cheias de mistérios, a série de David Lynch ficou famosa por ir contra a forma padrão da época, onde se buscava sempre uma história moral para todo tipo de fato. Em Twin Peaks, nada era como parecia ser e descobríamos a cada episódio que cada personagem tinha sempre um lado diferente que o ligava à morte de Laura Palmer. Nem o detetive Dale Cooper estava livre dessa dubiedade, sendo engolido pelo clima misterioso que rondava a cidade de Twin Peaks. A trilha sonora, sob a responsabilidade de Angelo Badalamenti - colaborador de David Lynch em seus filmes, era uma história a parte. Desde a abertura até às músicas ocasionais, o clima era sempre impactante e de suspense, daquele que dava nos nervos de tanto incomodo. "Twin Peaks Theme" ficou marcada na minha cabeça durante um bom tempo. As letras das canções foram compostas pelo próprio Lynch e interpretadas pela então desconhecida Juliee Cruise. O álbum da trilha sonora da série você pode ouvir logo a seguir e na integra!


Em 1991, nos EUA, a série chegava a sua segunda temporada, que teve um total de 22 capítulos, e finalmente, a revelação de quem era o assassino de Laura Palmer foi exibido no oitavo, o que fez com que o público perdesse interesse pela história. A série rendeu outras linhas que acompanhavam seu sucesso: surgiu o perturbador livro "O Diário Secreto de Laura Palmer"(1990), escrito por  Jennifer Lynch, filha de David Lynch. Nele, acompanhamos a rotina de uma jovem estudante que conta sem o menor pudor suas experiências com drogas, prostituição, orgias, ou até mesmo a perturbação de um “ser imaginário” chamado Bob, que abusava dela enquanto ela tentava dormir a noite ou mesmo em seus sonhos. Sem contar com as aterrorizantes páginas em branco, que vinham com a marcação "Página Arrancada". Tudo muito detalhado e que dava ainda mais veracidade à série televisiva. E em uma época que prequel não eram comum, em 1992 foi lançado o longa metragem "Twin Peaks: Fire Walk with Me", conhecido no Brasil como "Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer", que contava o que teria acontecido à jovem dias antes de sua morte (clique aqui e assista!). Além do elenco da série, David Bowie também pintou na história.  

Surpreendendo público e crítica, a história de David Lynch e Mark Frost foi um verdadeiro marco na TV norte-americana, refletindo na forma com que as séries seriam feitas naquela época aos dias atuais. Fora dos padrões de Hollywood, Lynch colocou sua assinatura de universos e histórias estranhas e não comuns dentro de um canal de TV, fazendo com que o público passasse a refletir sobre o que via, e não mais encontrar histórias de narrativas palatáveis e moralistas. Depois de filmes como “O Homem Elefante”(1980) e “Veludo Azul”(1986), Lynch encontrou no suspense a assinatura de sua obra, o que resvalou em Twin Peaks. Mesmo depois de seu cancelamento em 10 de junho de 1991, a série ainda continua sendo considerada um divisor de águas, em uma época em que não eram feitas gigantescas publicidades para programas de TV e nem havia noticias da internet e suas redes sociais. A inovação foi tão grande, que, de imediato acabaram surgindo séries com a tentativa de fazer o mesmo sucesso da antecessora. Mas no início somente uma se destacou: Arquivo X. 

O elenco da série despontou com sucesso para o showbizz da época. Kyle MacLachlan já fora visto antes em "Dune"(1984) e "Veludo Azul", ambos do próprio David Lynch. O ator teve relativa projeção mundial, mas sem um grande papel que marcasse sua carreira quanto aos papéis interpretados em parceria com David Lynch. MacLachlan retornou ao foco com o personagem Trey MacDougal na série "Sex And The City" entre 2000 e 2002. As atrizes Sherilyn Fenn (Audrey Horne), Sheryl Lee (Laura Palmer), Mädchen Amick (Shelly Johnson) e Lara Flyn Boyle (Donna Hayward) se tornaram musas da época. Lara Flyn Boyle protagonizou o ingênuo longa "Threesome"(1994) e Sherilyn Fenn fez o esquisito "Encaixotando Helena"(1993). Ainda assim, nenhuma delas despontou para grandes papéis, já que na época, atrizes de séries de TV não eram consideradas dignas de atuações em filmes para o cinema. Bem diferente do que é hoje, não é mesmo? E o que dizer de Michael Ontkean, o Cherife Harry S. Truman? Meu total objeto de desejo na época... 

As atrizes  Lara Flyn Boyle, Sherilyn Fenn e Mädchen Amick na edição especial da Rolling Stones

Desde 2014, Twin Peaks passou a ser o foco de discussão de fãs na internet, com a noticia de um revival sob direção do próprio David Lynch, juntamente ao co-criador da original, Mark Frost. Em meio a reviravoltas, discussões contratuais e polêmicas, a estreia estava prevista para este ano, em comemoração ao 25º aniversário da série. Porém, os fãs terão que esperar até 2017. A terceira temporada, também divulgada como minissérie, será transmitida pelo canal Showtime e terá 18 novos episódios com 31 atores do elenco original. Entre eles, Kyle MacLachlan novamente interpretando o agente Dale Cooper e Sheryl Lee no papel de Laura Palmer. Mas como se trata de David Lynch, o elenco terá um total de 217 personagens! Soma-se nomes de peso como  Trent Reznor, Jennifer Jason Leigh, Monica Bellucci, Eddie Vedder, Jessica Szohr, Ashley Judd, Michael Cera e Naomi Watts. A história será contextualizados após vinte e cinco anos dos fatos ocorridos no final da segunda temporada.



Para aumentar ainda mais o burburinho da aguardada minissérie, Mark Frost escreveu o livro "The Secret Story Of Twin Peaks", com data de lançamento prevista para 18 de outubro, nos Estados Unidos . O livro será uma espécie de dossiê de documentos sobre a cidadezinha de Twin Peaks, reunidos por um/uma personagem misterioso(a), que terá sua identidade revelada apenas no final do livro, que servirá como ponte para explicar os acontecimentos entre o final da segunda temporada, e o início da nova no ano que vem. Com 300 páginas, terá diversas fotografias coloridas e ilustrações, abordando não só o que aconteceu com os personagens nos últimos 25 anos, como também irá se aprofundar em mistérios deixados em aberto pela série. Aqui no Brasil já temos a noticia de que a Companhia das Letras comprou os direitos de publicação do livro. 

Por mais linhas que apareçam, pouco sabemos o que realmente será a minissérie sobre Twin Peaks em 2017. O que temos certeza é de que não será nada convencional, haja vista o estilo lynchiano que caracterizará o trabalho: surrealismo, perturbações, desenhos sonoros e muito suspense. Depois de "A Estrada Perdida" (1997), "História Real" (1999), "Cidade dos Sonhos" (2001) e "Império dos Sonhos" (2006), uma história completamente sem a urgência de explicar alguma coisa pode surgir por aí. Ansiosos? Nós também!!!

NÃO DEIXE DE VER


ÚLTIMAS



HOME    SOBRE    CONTATO    MODA    CULTURA    MÚSICA    HOT    BEAUTÉ    EVENTOS    COMPORTAMENTO    DESFILES    ACESSÓRIOS     LGBT    GOURMET    MIXTAPE    ENTREVISTA    NOITE    TREND    ROTEIRO    DJ-SET    VÍDEOS    MIDIA KIT    PARCEIROS