8.6.16

Tudo sobre "Twin Peaks", série que marcou os 90´s e retorna com nova temporada em 2017

O famoso retrato de Laura Palmer, interpretada pela atriz Sheryl Lee

Crise política, queda da União Soviética, explosão da música sertaneja, perda de grandes intérpretes da música nacional e internacional (Gonzaguinha e Freddie Mercury) e muitos outros fatos marcaram o ano de 1991 no Brasil e no mundo. Mas no entretenimento, nenhum fato foi tão impactante quanto a estreia da série Twin Peaks na TV brasileira. 

Fenômeno do ano anterior nos EUA, o episódio piloto de Twin Peaks foi exibido pela primeira vez em 8 de abril de 1990 no canal ABC. Sucesso de público, chegou a atrair mais de trinta e cinco milhões de telespectadores, tornando-se o maior fenômeno televisivo da época. Criada por Mark Frost e David Lynch, a série segue a investigação do agente do FBI Dale Cooper, sobre o assassinato da popular estudante de colegial Laura Palmer. E mal havíamos nos recuperado da revelação sobre o assassinato de Odete Roitman em "Vale Tudo"(1988 a 1989), pintava mais um incrível mistério para nos rondar: "Quem matou Laura Palmer?".


Twin Peaks passou a ser exibida no Brasil em 1991 pela Rede Globo, depois de um ano de sua primeira temporada nos EUA. Os domingos depois do "Fantástico" eram de grandes expectativas, pois era a hora mágica de ficar em frente à TV e acompanhar a investigação do agente do FBI Dale Cooper (Kyle MacLachlan), incumbido de achar o assassino da tão popular estudante Laura Palmer (Sheryl Lee). O crime havia acontecido na cidade freak e ficcional chamada Twin Peaks, em Washington. A imagem de uma adolescente caminhando entre trilhos, atônita e machucada, foi uma das primeiras imagens impactantes a nos atingir. A segunda foi a de Laura Palmer, morta e envolta de um plástico. Aos poucos, um emaranhado de personagens e fatos foram revelados, deixando o clima cada vez mais pesado e impossível, tornando difícil o entendimento da série que possuía momentos alternados entre suspense, surrealismo, drama, policial, humor e terror psicológico. Em uma época que não existência a internet e muito menos a palavra spoiler, era uma verdadeira tortura aguardar a semana seguinte para acompanharmos a série, que aos poucos virou patifaria nas mãos da Globo: muitos episódios saltados, dias e horários de exibição alterados, cenas cortadas e até que finalmente, a primeira temporada de Twin Peaks deixou de ser exibida pela emissora. Um gigantesco banho de água fria. E a pergunta da década que não queria calar ficou sem resposta: nunca soubemos quem matou Laura Palmer. Quando Twin Peaks foi lançada em VHS, tornou-se um cult.

O agente do FBI Dale Cooper, interpretado por Kyle MacLachlan

Com personagens estranhos e excêntricos e tramas cheias de mistérios, a série de David Lynch ficou famosa por ir contra a forma padrão da época, onde se buscava sempre uma história moral para todo tipo de fato. Em Twin Peaks, nada era como parecia ser e descobríamos a cada episódio que cada personagem tinha sempre um lado diferente que o ligava à morte de Laura Palmer. Nem o detetive Dale Cooper estava livre dessa dubiedade, sendo engolido pelo clima misterioso que rondava a cidade de Twin Peaks. A trilha sonora, sob a responsabilidade de Angelo Badalamenti - colaborador de David Lynch em seus filmes, era uma história a parte. Desde a abertura até às músicas ocasionais, o clima era sempre impactante e de suspense, daquele que dava nos nervos de tanto incomodo. "Twin Peaks Theme" ficou marcada na minha cabeça durante um bom tempo. As letras das canções foram compostas pelo próprio Lynch e interpretadas pela então desconhecida Juliee Cruise. O álbum da trilha sonora da série você pode ouvir logo a seguir e na integra!


Em 1991, nos EUA, a série chegava a sua segunda temporada, que teve um total de 22 capítulos, e finalmente, a revelação de quem era o assassino de Laura Palmer foi exibido no oitavo, o que fez com que o público perdesse interesse pela história. A série rendeu outras linhas que acompanhavam seu sucesso: surgiu o perturbador livro "O Diário Secreto de Laura Palmer"(1990), escrito por  Jennifer Lynch, filha de David Lynch. Nele, acompanhamos a rotina de uma jovem estudante que conta sem o menor pudor suas experiências com drogas, prostituição, orgias, ou até mesmo a perturbação de um “ser imaginário” chamado Bob, que abusava dela enquanto ela tentava dormir a noite ou mesmo em seus sonhos. Sem contar com as aterrorizantes páginas em branco, que vinham com a marcação "Página Arrancada". Tudo muito detalhado e que dava ainda mais veracidade à série televisiva. E em uma época que prequel não eram comum, em 1992 foi lançado o longa metragem "Twin Peaks: Fire Walk with Me", conhecido no Brasil como "Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer", que contava o que teria acontecido à jovem dias antes de sua morte (clique aqui e assista!). Além do elenco da série, David Bowie também pintou na história.  

Surpreendendo público e crítica, a história de David Lynch e Mark Frost foi um verdadeiro marco na TV norte-americana, refletindo na forma com que as séries seriam feitas naquela época aos dias atuais. Fora dos padrões de Hollywood, Lynch colocou sua assinatura de universos e histórias estranhas e não comuns dentro de um canal de TV, fazendo com que o público passasse a refletir sobre o que via, e não mais encontrar histórias de narrativas palatáveis e moralistas. Depois de filmes como “O Homem Elefante”(1980) e “Veludo Azul”(1986), Lynch encontrou no suspense a assinatura de sua obra, o que resvalou em Twin Peaks. Mesmo depois de seu cancelamento em 10 de junho de 1991, a série ainda continua sendo considerada um divisor de águas, em uma época em que não eram feitas gigantescas publicidades para programas de TV e nem havia noticias da internet e suas redes sociais. A inovação foi tão grande, que, de imediato acabaram surgindo séries com a tentativa de fazer o mesmo sucesso da antecessora. Mas no início somente uma se destacou: Arquivo X. 

O elenco da série despontou com sucesso para o showbizz da época. Kyle MacLachlan já fora visto antes em "Dune"(1984) e "Veludo Azul", ambos do próprio David Lynch. O ator teve relativa projeção mundial, mas sem um grande papel que marcasse sua carreira quanto aos papéis interpretados em parceria com David Lynch. MacLachlan retornou ao foco com o personagem Trey MacDougal na série "Sex And The City" entre 2000 e 2002. As atrizes Sherilyn Fenn (Audrey Horne), Sheryl Lee (Laura Palmer), Mädchen Amick (Shelly Johnson) e Lara Flyn Boyle (Donna Hayward) se tornaram musas da época. Lara Flyn Boyle protagonizou o ingênuo longa "Threesome"(1994) e Sherilyn Fenn fez o esquisito "Encaixotando Helena"(1993). Ainda assim, nenhuma delas despontou para grandes papéis, já que na época, atrizes de séries de TV não eram consideradas dignas de atuações em filmes para o cinema. Bem diferente do que é hoje, não é mesmo? E o que dizer de Michael Ontkean, o Cherife Harry S. Truman? Meu total objeto de desejo na época... 

As atrizes  Lara Flyn Boyle, Sherilyn Fenn e Mädchen Amick na edição especial da Rolling Stones

Desde 2014, Twin Peaks passou a ser o foco de discussão de fãs na internet, com a noticia de um revival sob direção do próprio David Lynch, juntamente ao co-criador da original, Mark Frost. Em meio a reviravoltas, discussões contratuais e polêmicas, a estreia estava prevista para este ano, em comemoração ao 25º aniversário da série. Porém, os fãs terão que esperar até 2017. A terceira temporada, também divulgada como minissérie, será transmitida pelo canal Showtime e terá 18 novos episódios com 31 atores do elenco original. Entre eles, Kyle MacLachlan novamente interpretando o agente Dale Cooper e Sheryl Lee no papel de Laura Palmer. Mas como se trata de David Lynch, o elenco terá um total de 217 personagens! Soma-se nomes de peso como  Trent Reznor, Jennifer Jason Leigh, Monica Bellucci, Eddie Vedder, Jessica Szohr, Ashley Judd, Michael Cera e Naomi Watts. A história será contextualizados após vinte e cinco anos dos fatos ocorridos no final da segunda temporada.



Para aumentar ainda mais o burburinho da aguardada minissérie, Mark Frost escreveu o livro "The Secret Story Of Twin Peaks", com data de lançamento prevista para 18 de outubro, nos Estados Unidos . O livro será uma espécie de dossiê de documentos sobre a cidadezinha de Twin Peaks, reunidos por um/uma personagem misterioso(a), que terá sua identidade revelada apenas no final do livro, que servirá como ponte para explicar os acontecimentos entre o final da segunda temporada, e o início da nova no ano que vem. Com 300 páginas, terá diversas fotografias coloridas e ilustrações, abordando não só o que aconteceu com os personagens nos últimos 25 anos, como também irá se aprofundar em mistérios deixados em aberto pela série. Aqui no Brasil já temos a noticia de que a Companhia das Letras comprou os direitos de publicação do livro. 

Por mais linhas que apareçam, pouco sabemos o que realmente será a minissérie sobre Twin Peaks em 2017. O que temos certeza é de que não será nada convencional, haja vista o estilo lynchiano que caracterizará o trabalho: surrealismo, perturbações, desenhos sonoros e muito suspense. Depois de "A Estrada Perdida" (1997), "História Real" (1999), "Cidade dos Sonhos" (2001) e "Império dos Sonhos" (2006), uma história completamente sem a urgência de explicar alguma coisa pode surgir por aí. Ansiosos? Nós também!!!
COMPARTILHAR:
ÚLTIMAS

PROGRAME-SE

SIGA A GENTE NO FACEBOOK

RECEBA NOSSA Newsletter

 

INSTAGRAM

ARQUIVO