http?//facebook.com/nalinguadojuoficialhttp://twitter.com/nalinguadoju http://youtube.com/intongue https://br.pinterest.com/nalinguadoju/ https://plus.google.com/u/0/+JulianoSilveira nalinguadoju@gmail.com  http://feeds.feedburner.com/nalinguadoju

Joia Rara: Conheça o incrível trabalho de SeiZo Soares


Sensibilidade, beleza e originalidade são alguns adjetivos que talvez definam o trabalho do joalheiro SeiZo Soares. Digo "talvez", porque o resultado é uma pura contemplação infinita de belos detalhes, tão belos quanto a natureza da matéria-prima que ele utiliza para produzir suas exclusivas peças. Arte e designer em criações únicas, verdadeiras joias que não cabem em uma linha de produção comum, mas sim em um processo de construção de verdadeiros objetos de arte. 

Algumas das inspirações de SeiZo chegam praticamente de um vizinho, ou na verdade uma vizinha: a mata Santa Genebra, importante reserva urbana na cidade de Campinas. Pai de dois filhos, professor universitário e redator, SeiZo desenvolve em seu ateliê  um trabalho autodidata de pesquisa e experimentação de técnicas de escultura e arte joalheria contemporânea. 


Carregadas de exclusividade, suas joias são criadas como mini esculturas a partir de um único corte de madeira preciosa, recolhida dos despojos da natureza e em marcenarias. Jacarandá, Pau Ferro, Ébano, Pau Brasil e outras espécies são utilizadas com respeito e reverência à vida. A orientação dos veios e seus desenhos, cores e texturas possíveis são consideradas e respeitadas em cada corte, como se faz ao se planejar a lapidação de uma pedra preciosa. Diversas fases de acabamento criam uma peça muito durável, confortável e agradável de se vestir. Os minerais são inseridos por inspiração da técnica japonesa do Suiseki, que usa suportes esculpidos em madeira para expor rochas brutas. Fusão orgânica de metais e vidro também compõem a joalheria contemporânea do artista, aberto à co-criação e ao experimentalismo.

O trabalho de SeiZo também já foi exposto internacionalmente em eventos importantes da área como Joya Barcelona, na Espanha. Agêneras, suas criações podem e devem ser utilizadas por quem busca além da exclusividade, um verdadeiro conceito, estilo e filosofia quanto a relação do homem com a natureza. Slow fashion no conceito e na prática. 

O joalheiro SeiZo Soares

O blog NLDJ traz com exclusividade uma entrevista mais que especial com SeiZo Soares. Vale mais que a pena conhecer e adquirir o trabalho desse artista joalheiro. Confira:

Como surgiu a ideia de ser um designer de joias? 

Sou administrador de empresas e mestre em educação. Fiz carreira como redator publicitário e professor em universidades. Em 2010 deixei estas ocupações para realizar um 'ano sabático'. Não sabia ao certo o que faria com ele, mas ao me mudar para uma casa próxima a uma reserva florestal iniciei meu aprendizado como escultor usando material que recolhia dos despojos da natureza. As joias surgiram durante o processo de redução da escala das esculturas. Então descobri o mercado internacional da arte joalheria e passei a mirar meus esforços de 'marqueteiro' para conseguir destaque nas redes sociais. Já em 2013 fui selecionado para participar do grupo de artistas brasileiros a expor no Joya Barcelona - evento anual que reúne gente do mundo inteiro. Foi um sinal verde pra prosseguir. No ano seguinte participei da bienal de Pequim e continuei voltando a expor nestes eventos até 2015.

Sendo um auto-ditada, quais foram suas dificuldades iniciais? E por que não optar por um curso de design de joias?

Como educador conheço os limites, possibilidades (e perigos) da escola formal. Modelos, padrões, processos pré-formatados... Penso que os programas 'convencionais' de ensino são muito úteis e podem encurtar certos caminhos, mas como artista sempre senti na academia e nas escolas de arte, algo que não me soava bem. Algo que a mim parecia limitante, enfadonho e até perigoso do ponto de vista criativo. Não considero o que faço como trabalho de design.A arte joalheria é um campo híbrido entre o pensamento artístico e o desenho de objeto para o uso no corpo humano (design), porém muitas vezes zomba ou ignora alguns ditos preceitos do design de produto.


Porque a madeira como matéria-prima de suas criações e não apenas pedras e minerais comuns?

Uso madeira por causa do perfume que exala, das cores e veios suntuosos que apresenta escondidas sob cascas rudes. Porque me lembra da infância brincando com meu avô na marcenaria do bairro. 
Vejo a madeira como algo precioso. E realmente é, se considerarmos a raridade e valor estético de certas espécies.
Minhas peças são um convite à atenção e à minucia ao observar um pequeno objeto.

Onde busca inspiração para criar as suas peças?

Em minhas mãos, em meu corpo. É o corpo que age sobre a madeira e guia os traços e talhas da escultura. O estado mental interfere diretamente sobre esta ação e daí surgem as coisas. A filosofia é uma grande fonte para modular nosso estado mental. Gosto de ter um texto em mente ao ir para a oficina. Como referência visual, o casario antigo de madeira, a cerca caindo aos pedaços, a roda d´água e elementos da natureza como a fluides da água que um dia esteve no fragmento da árvore com que trabalho..

Como as joias são confeccionadas?

Utilizo ferramentas elétricas e manuais como goivas e facas. Uso blocos maciços de madeira.

Qual é o principal conceito do seu trabalho?

A contemplação e o afeto. Procuro afetar as pessoas convidando-as à contemplar um pequeno objeto, a imaginar um anel como sendo uma escultura de 15 metros, por exemplo. Como artista, busco não me prender a conceitos ou estéticas muito demarcadas. Desenvolver e experimentar livremente (inclusive com outros materiais e produtos) atendendo meu corpo e minha mente.


Como surgem os nomes das joias? 

Os nomes surgem de um livro lido enquanto ela foi feita, de um evento cotidiano...os nomes e a poética das peças são uma tentativa de fazer concreto e inteligível algum sentimento e pensamento sutis que vão surgindo no processo da escultura e composição das peças.

Quais suas peças favoritas?

A série "O que que tem por dentro" que me levou pela primeira vez a Barcelona.

Tem alguém que você sonha em ver usando as suas criações?

Não. Não alguém famoso ou algo assim. Normalmente admiro artistas que encontro em eventos e cursos. Professores, mestres artistas mais experientes. Todos os que encontrei até hoje (não são muitos) possuem uma ou mais peças minhas. Pra mim isso é lindo!
Sempre sinto que a arte deve ser irreverente ou seja, não deve fazer reverência a ninguém para assim encontrar e seguir seu próprio caminho original.

Quais seus planos futuros para a SeiZo Joias?

Seguir produzindo e exibindo em lojas qualificadas e eventos internacionais. Expandir minha produção sem medo.

Confira a seguir um pouco mais das criações de SeiZo Soares:


O precioso trabalho de SeiZo pode ser encontrado no Ateliê SeiZo Joias, na Casa Amarela e Loja Carimbo.

Ateliê SeiZo Joias  
Endereço: Rua Mata da Tijuca, 36 - Bosque de Barão Geraldo, Campinas/SP
Telefone: (19) 3289-4477

Casa Amarela
Endereço: Rua José Martins 603- próximo a Praça do Coco, Barão Geraldo, Campinas/SP
Telefone: (19) 3368-2171

Loja Carimbo:
Endereço: Rua Dr. Emílio Ribas, 681, Cambuí, Campinas
Telefone: (19) 2517-2361

RELACIONADAS

MAIS LIDAS