RuPaul é indicado ao EMMY 2016. Saiba tudo sobre o artista que reacendeu a cultura drag queen no mundo!


Nascido em San Diego, Califórnia (EUA), RuPaul Andre Charles (mais conhecido como RuPaul) é hoje a maior drag queen da história. Um dos precursores da cultura drag nos anos 90, criou uma persona que segue com relevância por mais de duas décadas. São 1,93 metro de altura, humor inteligente e afiado e um talento nato para o show bizz. Seu programa, "Rupaul´s Drag Race", exibido pelo canal norte-americano Logo TV, é um sucesso gigantesco de audiência, caindo no gosto popular e tornando-se assunto em todas as redes sociais, além de lançar drag queens ao estrelato, ocupando o posto de musas para iniciantes e iniciados. Se no ano de 1993, com o lançamento do sigle "Supermodel of the World (You Better Work)", a sua imagem era o exagero das supermodelos que dominavam as engrenagens do mercado de moda internacional, hoje, RuPaul personifica sua própria essência e imagem artística, de certo modo sem gênero (já afirmou que tanto faz ser chamado de "ele" ou "ela"). Com um glamour sem precedentes na cultura drag queen mundial, tornou-se referência, como um dia foram as supermodelos no início de sua carreira. 


O sucesso de "Rupaul´s Drag Race" trouxe de volta o interesse por um personagem que havia desaparecido da cena LGBT: a drag queen. Até uma versão brasileira surgiu na internet: "Academia de Drags", reallity show exibido no Youtube e apresentado por Silvetty Montilla, uma das drags remanescentes do período de surgimento de RuPaul. E se em um momento a cultura drag foi tão forte quanto nos anos 90, volta a ser objeto de importância e visibilidade nestes meados da segunda década dos 2000, juntamente ao plus de implantar ao assunto a discussão de ideologia de gêneros e afins. 


You Better Work!

RuPaul começou sua carreira como ator, cantor e diretor de filmes em Atlanta na década de 80. Participou de produções cinematográficas “underground” ajudando a criar alguns filmes de baixo orçamento. Dentre eles, "RuPaul Is: Starbooty!", aproveitando para lançar um álbum, homônimo ao filme. Em Atlanta, trabalhou com suas performances de dançarino ou com sua banda, a  Wee Wee Pole, na boate Celebrity (gerenciada por Larry Tee). RuPaul também performou como backing vocal para Glen Meadmore junto com a drag queen Vaginal Davis.

Figura de importância na cena noturna de NY, a primeira aparição mundial de RuPaul foi em 1989, dançando no clipe "Love Shack" da banda The B-52's. Em 1993, debochou das supermodelos no single "Supermodel of the World (You Better Work)", o que o projetou para o sucesso. Na letra, se referenciava e citava Linda Evangelista, Naomi Campbell, Christy Turlington, Claudia Schiffer e Niki Taylor. Carregada com a batida dance da época, a música se transformou em um clássico da cena gay. "Miss Lady DJ" e "House Of Love", tocadas e dançadas à exaustão, também traziam as essências da cultura drag e da cultura de noite, revisitadas em seu último álbum, "Butch Queen"(2016). Nele, estão novamente presentes o shade, o glamour, o vitimismo e a militância: a impactante "Feel Like a Woman" traz o verso "Are you a woman, you don't look like a woman. But you feel like a woman". Hipnótico e empoderado, mais visibilidade é impossível. Já a emblemática "Category Is...", traz de volta fundamentos da cultura dance ball e dos famosos bailes de voguing dos anos 90 de NY. Sem contar "Sissy That Walk" (2014), popular na atual carreira de RuPaul e que nos faz dançar em 2016 como dançávamos lá em 1993. Mas a preferida do blog NLDJ nessa fase atual é "Modern Love"! 




Os mais de 20 anos de carreira de RuPaul já nos trouxe: 

. Imagens como as da campanha da linha de batons "Viva Glam" da M.A.C., a qual destinou-se 100% dos lucros ao apoio à pessoas que contraíram o HIV. RuPaul foi a primeira drag queen a protagonizar tal feito; 

. Os deliciosos covers de "Don't Go Breaking My Heart" e "It's Raining Men", respectivamente ao lado de Elton John e Martha Wash; 

. Uma participação ao lado de Lady Gaga em 2013, no especial "Lady Gaga and the Muppets' Holiday Spectacular". Gaga até se ofereceu publicamente para ser jurada em um dos episódios de "RuPaul's Drag Race"; 

. O total de 12 álbuns: Supermodel Of The World (1993), Foxy Lady (1996), Ho, Ho, Ho (1997), Redhot (2004), Reworked (2006), Champion (2009), Glamazon (2011), Born Naked (2014), The CoverGurlz (2014), Slay Belles (2015), Realness (2015) e Butch Queen (2016);

. A militância dentro do segmento LGBT, onde RuPaul está ao lado de artistas como Britney Spears, Selena Gomez, MNEK, Jennifer Lopez, Gwen Stefani, Alex Newell, P!nk, Prince Royce e Nate Ruess no single "Hands - A Song for Orlando", lançado em homenagem às vítimas do ataque na boate gay "Pulse", em Orlando; 

. Uma resposta empoderada para uma critica de um seguidor no Twitter, que acusou RuPaul de ser omisso a respeito do "Black Lives Matters" (movimento ativista norte-americano que luta contra a violência sofrida pela população negra do país). Sobre o fato, RuPaul afirmou: “Sou rejeitado pelos brancos por ser negro, pelos negros por ser gay e pelos gays por ser afeminado. O Ego precisa se sentir superior a outras pessoas”.

RuPaul para a campanha da linha "Viva Glam" da M.A.C., em 1994. 

Shantay, You Stay

Com bordões, shades, provas incríveis e a possibilidade de se tornar a "America's Next Drag Superstar", o reality show "RuPaul's Drag Race", exibido nos Estados Unidos pelo canal Logo TV, foi o responsável por trazer não somente a carreira de RuPaul de volta aos holofotes, mas como já citado acima, colocar novamente em evidência a cultura drag queen. Em oito temporadas, o programa já revelou drags de sucesso como Alaska, Ginger Minj, Sharon Needles, Chad Michaels, Bianca Del Rio, Adore Delano, Kim Chi e Naomi Smalls. Desde a primeira temporada, exibida entre 2 de fevereiro a 23 de março de 2009, não somente o programa passou por uma evidente mudança, como também as candidatas apresentam produções cada vez mais elaboradas. A bancada de jurados, composta por Michelle Visage, Ross Mathews e Carson Kressley, recebem convidados cada vez mais expressivos como Marc Jacobs, Debby Harry, Jessica Alba, Ariana Grande, Demi Lovato e John Waters.  


Apesar de a oitava temporada ter recebido criticas sobre o elenco - composto por drags já conhecidas da cena nova iorquina, ou até mesmo algumas das cenas do programa serem observadas como edições propositais que garantiriam a audiência, "RuPaul's Drag Race" continua a entreter e ajudar a refletir a respeito de questões sobre identidade, aceitação, preconceito e homofobia.  

Antes da nona temporada, vem aí a segunda edição do especial "All Stars", onde participantes de outras temporadas de "RuPaul's Drag Race" concorrem novamente entre si. Estarão presentes Adore Delano, Alaska, Alyssa Edwards, Coco Montrese, Detox, Ginger Minj, Katya, Phi Phi O'Hara, Roxxxy Andrews e Tatianna. A estreia está prevista para o dia 25 de agosto. 

Para um programa que começou bem modesto e com orçamento baixíssimo lá no canal americano VH1, o talento de RuPaul só nos prova que "RuPaul's Drag Race" ainda tem muitos talentos, bordões e shades para lançar. Este ano, RuPaul foi indicado pela primeira vez ao Emmy em duas categorias: “Melhor Figurino” e “Melhor Apresentador”. A premiação é uma das maiores - senão a maior da TV, sendo equivalente ao Oscar, Tony Awards e o Grammy. Se estamos torcendo? Como diria RuPaul: 


NÃO DEIXE DE VER


ÚLTIMAS



HOME    SOBRE    CONTATO    MODA    CULTURA    MÚSICA    HOT    BEAUTÉ    EVENTOS    COMPORTAMENTO    DESFILES    ACESSÓRIOS     LGBT    GOURMET    MIXTAPE    ENTREVISTA    NOITE    TREND    ROTEIRO    DJ-SET    VÍDEOS    MIDIA KIT    PARCEIROS