MANIFESTO: POR UMA CENA GLS MELHOR


A noite GLS em Campinas passa por uma engrenagem interessante: de um lado, fórmulas repetidas à exaustão e de outro, uma fatia que clama por algo novo, algo que justifique uma saída de casa. Para arrematar, existe uma falta de respeito para com o Cliente, uma subestimação perante a nossa capacidade. Digo isso por experiência própria, como por exemplo, ao pedir um Mojito, ele chega com gosto de vodka Smirnoff sabor maçã-verde. Ou quando se está na pista e a mesma música da Rihanna toca três vezes. Ou quando o DJ antipático está lá na cabine fazendo suas mixagens truqueiras enquanto confere suas mensagens no celular. Ou quando o staff não é educado e acha que todo mundo que está em uma fila é VIP. E porque é VIP, tem que ser mal atendido. Ou quando um novo club inaugura e não tem staff suficiente para atender o público. E não te indeniza o preço pago pelo camarote. Ou quando funcionários despreparados marcam drinks errados na sua comanda. Ou quando o banheiro não está limpo e a filosofia da casa é tratar o Cliente de maneira diferenciada e especial. Ou quando você perde horas na fila para tentar usar o banheiro, porque não se investe em estrutura. E por aí vai...A real é que Empresários querem lucro e Clientes, mas se esquecem do atendimento que envolve mão de obra preparada, estrutura e respeito.

Passamos por uma cultura VIP que generaliza todo mundo. O fato é que ninguém mais paga para entrar em balada. Tem a lista do promoter, a lista do evento no Facebook, a lista da portaria, a lista da lista. E porque não paga, então tem que ser tudo meia-boca. Mas acontece que aqueles que pagam, aqueles que não possuem o nome na lista, literalmente pagam por tudo de ruim nessa onda amadora que vagueia a noite GLS campineira. E paga-se caro! Não sei se existe a possibilidade de mensurar quanto vale uma noite, mas as vezes o dinheiro é totalmente perdido quando você se depara com situações absurdas. E o pior, parece que o público está acostumado com isso e acha tudo muito normal. E houve um tempo em que as pessoas eram mais questionadoras...E o público também era melhor e mais informado.

Empresários devem deixar de ser apenas Empresários e voltar a ser Entertainers. Lidar com público é um dom, mas enquanto se tem a áurea de apenas querer ganhar dinheiro com isso, nada funciona corretamente e pintar uma parede de preto não é a resposta para tudo. Com tanta tecnologia por aí, pesquise, viaje, frequente outras baladas, converse com o público. Ninguém está na noite de favor. Quem me conhece sabe qual o lugar que mais frequento por aqui e vai por mim: a melhor iluminação de pista, a melhor acústica e o melhor som já existem. Mas as vezes é bom termos opções, desde que valham a pena. Conheço muita gente, mas muita gente mesmo que não sai mais de casa justamente por esse período tão ruim que passa a noite GLS de Campinas. E são pessoas formadoras de opinião, que foram treinadas pela noite em uma época que todo club cobrava entrada, todo DJ expressava conceito na pista, todo staff era educado, gogo boy não era diva e um inferninho era de fato um inferninho.

Não sei qual a justificativa de tanto club GLS na cidade já que praticamente todos têm a mesma cara, só muda o endereço. Alguns conceitos devem ser urgentemente revistos. Por favor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário