Top Menu

Kiko Goifman e Paulo Lins debatem o tema violência na Mostra Cinema e Reflexão do Cine CPFL


Com a exibição de “Ato dos Homens” e um debate reunindo o diretor do filme Kiko Goifman e o escritor Paulo Lins, se encerra nesta quarta-feira, 31/05, o ciclo temático sobre a violência, promovido pela mostra Cinema e Reflexão, do Cine CPFL.

Em “Atos dos Homens” (Brasil, 2006, 76 min, 14 anos), o que seria um documentário sobre sobreviventes de vários massacres no Brasil se transformou em um raio X da violência na Baixada Fluminense (RJ). Em março de 2005, um mês antes do início das filmagens, um massacre nas cidades de Nova Iguaçu e Queimados mudaria profundamente o argumento do projeto. A realidade tão próxima fez com que o foco do cineasta Kiko Goifman fosse direcionado ao cotidiano dos moradores daquela região: a profunda desigualdade social e a banalização da morte, que se transforma num modo corriqueiro de resolução de conflitos. São abordados ainda o extermínio, os matadores e o desejo de viver dos moradores da Baixada Fluminense. O filme foi selecionado para o Festival de Berlim e venceu o prêmio de melhor documentário no Festival dos Três Continentes de Nantes (França).

Após a projeção, que tem início às 19h, acontece o encontro sobre o tema violência, com Goifman e Paulo Lins. Este ganhou fama em 1997, com a publicação do livro “Cidade de Deus”, no qual foi baseado o longa-metragem homônimo, dirigido por Fernando Meirelles e exibido na mostra Cinema e Reflexão no último dia 25/05. Lins também participou do roteiro dos filmes “Quase Dois Irmãos”, pelo qual recebeu o Prêmio APCA, da associação Paulista de Críticos de Arte. Em 2012 lançou seu segundo romance, “Desde Que o Samba é Samba”.

Formado em antropologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, com mestrado em multimeios pela Unicamp, Kiko Goifman realizou os longas-metragens “33”, selecionado para os prestigiosos festivais de Locarno e Roterdã; “Filmefobia”, eleito melhor filme no Festival de Brasília; “Olhe pra Mim de Novo”, vencedor de prêmio especial do júri no Festival do Rio; e “Periscópio”.

A mostra Cinema e Reflexão tem curadoria de Francisco Cesar Filho e Jurandir Müller. As sessões acontecem no Instituto CPFL, que fica na Rua Jorge de Figueiredo Corrêa 1632, Chácara Primavera, Campinas. As sessões acontecem às 19h, com entrada franca (retirada de ingressos a partir das 18h).

Mais informações podem ser acessadas através da home-page da mostra. Basta clicar aqui

Postar um comentário

AS ÚLTIMAS DO BLOG

NA LÍNGUA DO JU ® | 2017