Violência é o tema da Mostra "Cinema e Reflexão" do Cine CPFL no mês de maio

Cena do longa "La Playa D.C."

Em maio, a mostra “Cinema e Reflexão”, do Cine CPFL, é dedicada ao tema violência, com oito premiados filmes produzidos no Brasil, México e Paraguai. A partir deste mês as sessões, sempre às 19 horas, passam a acontecer, em caráter definitivo, às quartas e quintas-feiras.

A atração de 3/05, quarta-feira, “La Playa” (“La Playa D.C.”, Colômbia/Brasil/França, 2012, 90 min.) foi lançada no Festival de Cannes. No longa-metragem, Tomás é um jovem afro-colombiano que teve de fugir de sua aldeia, no litoral do país, por causa da guerra. Agora vive em Bogotá, uma cidade conservadora e com uma elite branca predominante. Quando Jairo, seu irmão mais novo e viciado em drogas, desaparece, ele sai de casa para procurá-lo. Através de sua jornada pelas ruas da capital, Tomás está motivado a lutar por um espaço e traçar seu próprio caminho na metrópole hostil. No elenco estão Luis Carlos Guevara, Jamés Soli e Andrés Murillo. Dirigida por Juan Andrés Arango Garcia, a obra conquistou os prêmios de melhor filme no Festival de Lima e no Prêmio Macondo (Colômbia).

Já no dia seguinte, 4/05 (quinta-feira), é a vez do premiado “7 Caixas” (“7 Cajas”, Paraguai/Espanha, 2012, 105 min.), considerado o maior êxito da história do cinema paraguaio. Dirigido pela dupla Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori, o filme focaliza um jovem que trabalha em um mercado na cidade de Assunção, no Paraguai e quer comprar um celular. Como não tem dinheiro, ele acaba aceitando fazer a entrega de sete caixas em troca de 100 dólares. A partir deste momento, passa a correr perigo de vida. Celso Franco, Víctor Sosa, Lali González e Nico García encabeçam o elenco do longa que foi vencedor do prêmio do público no Festival de Miami, prêmio do júri da juventude no Festival de San Sebastián, melhor roteiro no Festival Digital Skip City (Japão), prêmio Nueva Vision no Festival de Santa Barbara (EUA) e melhor filme estrangeiro de língua espanhola pela Associação de Críticos da Argentina.

O ciclo sobre a violência programa para as semanas seguintes o mexicano “Heli”, de Amat Escalante, e os brasileiros “Cativas – Presas Pelo Coração”, de Joana Nin, “Sem Pena”, de Eugênio Puppo, “Branco Sai, Preto Fica”, de Adirley Queirós, “Cidade de Deus”, de Fernando Meirelles, e “Atos dos Homens”, de Kiko Goifman. Este último, com exibição em 31/05, é seguido de debate com presença do escritor Paulo Lins e do cineasta Kiko Goifman.

No dia 17/05, dentro da Sessão do Realizador (que é dedicada a novos filmes), é projetado em pré-estreia “A Destruição de Bernardet”, de Cláudia Priscilla e Pedro Marques. Em seguida, um encontro reúne o crítico Jean-Claude Bernardet e o codiretor Pedro Marques.

A mostra “Cinema e Reflexão” tem curadoria de Francisco Cesar Filho e Jurandir Müller. As sessões acontecem no Instituto CPFL e a entrada é gratuita.

Serviço: 

"Cinema e Reflexão"
Local: Instituto CPFL
Endereço: Rua Jorge de Figueiredo Corrêa 1632, Chácara Primavera, Campinas?SP
Entrada franca (retirada de ingressos a partir das 18h).

Nenhum comentário:

NÃO DEIXE DE VER


ÚLTIMAS



HOME    SOBRE    CONTATO    MODA    CULTURA    MÚSICA    HOT    BEAUTÉ    EVENTOS    COMPORTAMENTO    DESFILES    ACESSÓRIOS     LGBT    GOURMET    MIXTAPE    ENTREVISTA    NOITE    TREND    ROTEIRO    DJ-SET    VÍDEOS    MIDIA KIT    PARCEIROS